[Crítica] Black Mirror

black-mirror

Black Mirror é uma série televisiva britânica desenvolvida por Charlie Brooker, que depois do seu enorme sucesso, passou a ser também disponibilizada na Netflix, apresenta uma série de críticas relacionadas a nossa sociedade contemporânea, totalmente voltada para a tecnologia. Algumas das críticas são escrachadas e satíricas, mas a maioria são assustadoras e tenta contar como nós podemos nos perder se continuarmos tão dependentes de socializar através de aparelhos eletrônicos, ou melhor, se continuarmos não sendo mais sociais como humanos.

Todos os episódios são diferentes uns dos outros. Atores, temas, ambientes e realidades são diferentes, até não deixando claro em que época se passa.

Charlie Brooker conta que escolheu o nome Black Mirror referenciando as telas de tv e de smartphones que são apontados como para alguns conforto, para outros desconforto.

Vou comentar um pouquinho sobre cada um dos treze episódios, retratando minha opinião e nota sem dar spoilers:

The National Anthem: Nota 7

the-national-anthem

Como a tecnologia pode criar tramas e acabar com a vida de uma pessoa com um simples teclado ou transmissão. Qualquer um com conhecimento pode tomar conta e praticar terrorismo.

Fifteen Million Merits: Nota 6

fif

Conta basicamente como podemos ser comprados com pouco. Vivemos num mundo cheio de cobiças e facilmente podemos ser manipulados.

The Entire History of You: Nota 7.5

entire-history-of-you

Conta como podemos ficar paranoicos se não tivermos mais segredos e privacidade. Esse episódio mostra como estamos cada vez mais públicos.

Be Right Back: Nota 9

be-right-back

Protagonizado por Hayley Atwell(Agente Carter) e Domhall Gleesson(Ex-Machina), é um dos meus favoritos, mostra como somos dependente das pessoas e como a tecnologia está hoje sendo desenvolvida para assumir papel de seres humanos na parte afetiva. Mostra como isso pode ser bom e também ruim. Critica também o fato de termos tantos dados publicados na rede. É um romance louco

White Bear: Nota 8

white-bear

Conta como por trás de um monitor somos violentos, gostamos de violência, até mesmo pra quem merece ser punido. Critica aquelas pessoas que filmam e publicam desastres.

The Waldo Moment: Nota 5

waldo-moment

Conta basicamente como o humor está cada vez mais ofensivo. Como podemos nos blindar por trás de um personagem ou um perfil para atacar as pessoas e ser polêmico.

White Christmas: Nota 7

white-christmas

Esse episódio é bastante longo, conta três estórias paralelas. Começa com a trama de um homem que recorre à ajuda de um conselheiro amoroso à distância para tentar ter mais sucesso em suas conquistas. Continua mostrando um mundo no qual as pessoas podem ter um clone que faz as tarefas solicitadas. E termina entrando na premissa de que a opção de bloquear os outros, como nas redes sociais, possa ser transferida para as relações físicas.

Nosedive: Nota 8

nosedive

Protagonizado pela maravilhosa Bryce Dallas, conta a estória de um mundo onde as pessoas ganham notas de acordo com suas publicações nas redes sociais e podem ser negativadas devido suas atitudes. Todos pagam pau uns para os outros, pois se sua nota baixar, você não pode entrar em locais com notas mínimas definidas. Critica as pessoas que vivem de curtidas nas redes sociais.

Playtest: Nota 7

playtest.jpg

Basicamente fala sobre o que pode acontecer com o mundo dos games em relação a realidade virtual. Como as pessoas podem perder a noção da realidade caso se tornar tão real.

Shut Up and Dance: Nota 9

shut-up-and-dance

Um episódio incrível onde conta como um hacker pode manipular e chantagear as pessoas. Esse episódio tem um final surpreendente.

San Junipero: Nota 10

san-junipero

Meu favorito. Não posso estragar contando spoilers, mas é um romance muito diferente e surreal, totalmente criativo, surpreendente e emocionante. Qualquer coisa que eu falar vai revelar e perder a graça. Assistam!

Men Against Fire: Nota 5

men-against-fire

Mostra como podemos ser manipulados devido a tecnologia para tornar soldados mais eficientes e com menos medo de matar.

Hated in the Nation: Nota 5

hated-in-the-nation.jpg

Critica especialmente o governo que faz de tudo para controlar sua nação espionando as pessoas. Quanto mais tecnologia, mais o governo vai investir em espionagem. Conta o quanto isso pode ser perigoso se cair em mãos erradas.

Resumindo, cada episódio tem suas particularidades, suas realidades mas todos eles abordam críticas relacionadas a tecnologia e a sociedade atual e talvez futura.

Nota geral 9.5

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s